Mandamento Wiccan

Faça o que entender, desde que não prejudique ninguém

domingo, 20 de dezembro de 2009

7 Leis da Magia

1 - Equilibrio
2 - Maturidade
3 - Compaixão
4 - Sabedoria
5 - Autodisciplina
6 - Preserverança
7 - Devoção

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Os 13 Mandamentos das Feiticeiras


1 - Praticar rituais para se colocar em harmonia com o ritmo das forças naturais, marcadas pelas fases lunares e das estações do ano.

2 - Viver em harmonia com a natureza, no seu equilíbrio ecológico e respeitando a vida dentro dum conceito de evolução.

3 - Reconhecer um poder maior não detectado pelas pessoas comuns. Sendo tão forte, é por vezes denominado sobrenatural, mas é visto como parte de algo, que pode ser alcançado por todos.

4 - Acreditar que o poder do universo manifesta-se através das polaridades, como masculino e feminino e que esse mesmo poder reside em todas as pessoas e opera mediante interacção dos 2 principios. Valorizando-os, sabendo que cada um é o suporte do outro.

5 - Reconhecer tanto o mundo externo como o interno ou psíquico. Prestar igual atenção às 2 dimensões, considerando ambas necessárias para sua realização.

6 - Não conhecer hierarquia autoritária, mas honrar os que ensinam, respeitando aqueles que partilham os seus conhecimentos e sabedoria.

7 - Considerar que a religião, magia e sabedoria, unem as feiticeiras de modo a viverem dentro dum mundo com conhecimento e tranquilidade.

8 - Reconhecer que ao chamar-se "Feiticeira" não constitui um titulo. É simplesmente alguém que tenta controlar as forças vitais dentro de si, de forma a viver sabiamente, em harmonia com a natureza e sem prejudicar ninguém.

9 - Afirmar a sua crença na vida, no progresso, na evolução e no desenvolver do caminho, valorizando o universo conhecido e o seu papel dentro dele.

10 - A sua única querela contra qualquer religião ou filosofia reside no facto da liberdade dos demais, poder ser suprimida ou anulada.

11 - Não se envolver em debates sobre o passado, as origens dos diversos termos, a legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições, interessando-se unicamente pelo presente e futuro.

12 - Não aceitar o conceito do mal absoluto, nem adorar nenhuma entidade conhecida como Satanás ou Diabo. Não procurar a obtenção de poder através do sofrimento dos demais, nem permitir que advenha algum beneficio pessoal por tais meios.

13 - Procurar dentro da natureza o necessário para a sua saúde e bem estar.

Oração da Lua Crescente


Acenda 3 velas brancas e coloque-as em forma de triângulo. No meio coloque uma taça com água e um cristal à escolha.
Diga:
Ó Rhiannon, Deusa do véu brilhante.
Aquela que só o tempo conhece os seus mistérios, que as minhas oferendas sejam agradáveis aos teus olhos.
Ó Virgem divina. Divindade da esperança. Que a Lua Crescente seja bem vinda e que a benovolência seja distribuída entre todos os seres da Terra.
Ó mais encantada das Deusas, que desta forma a fertilidade continue a reinar sobre a Terra durante o período em que olharás por nós.
Sê bem vinda a este mundo, Lua Crescente.
Contigo cresçam também a fortuna, o sucesso e a prosperidade nas nossas vidas.
Que assim seja e que assim se faça!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Expressões Pessoais



Qualidades de Fogo:
espontâneo
optimista
lascivo
impetuoso
espalhafatoso
franco

rude


Qualidades de Água:
artístico
passivo
sensual
imprevisível
indeciso
sonhador
ambíguo
enigmático
romântico
sentimental
confuso

Qualidades de Terra:
produtivo
calculista
teimoso
determinado
sexual
estético
carinhoso
valente
previsível
meticuloso

Qualidades de Ar:
lógico
mutável
intelectual
justo
imprevisível
incisivo
desafiador
explicito
expansivo
técnico
cientifico
solitário

Expressões Manifestas dos Elementos

Fogo
chama
electricidade

fricção
combustão
luz
brilho
calor
transformação pela interacção com outros elementos
Água
rios, oceanos, chuva, orvalho, lagos
secreções corporais liquidas
humidade
liquido
magnetismo
mutabilidade
transformação pela interacção com outros elementos
Terra
todas as coisas sólidas
realidade tangível
tudo o que é táctil
estrutura e forma
dimensão
tempo
existência
transformação pela interacção com outros elementos
Ar
todas as coisas atmosféricas
gases
espaço
teoria
aquilo que é etéreo
frequência
som e meio através do qual se propaga
aquilo que é invisível

quarta-feira, 23 de setembro de 2009




Percepção
Tire uma hora por dia e conscientemente organize tudo o que pensa, diz, faz e sente. Imagine-se com um conjunto extra de sentidos e armazene todas as informações recebidas durante esse tempo. Mais tarde escreva tudo o que gravou durante essa hora pela seguinte ordem:

* o que vi
* o que ouvi
* o que cheirei
* o que toquei
* o que provei
* o que pensei a respeito
* como me senti

Esta consciência exterior é chamada de NEMET. Se fizer o exercício por vários dias perceberá que o faz de modo automático. Estará aumentando a sua percepção, que irá progressivamente activar a telepatia e intuição. Lembre-se que o seu centro (Nemet) é totalmente não julgador, mas sim um observador consciente do modo como reage e responde dentro dum ambiente manifesto. Através da compreensão da sua capacidade de se aperfeiçoar, agirá de acordo com o que o Nemet lhe tenha confiado. Poderá então eliminar ou acrescentar informações da forma que achar correcta.
Meditação
Escolha um local sossegado e comece por acender uma vela, colocando-a atrás de si. Sente-se numa cadeira sem cruzar os braços e pernas e com as costas direitas.
Com os olhos fechados respire profundamente várias vezes (mínimo 10), enchendo os pulmões e depois exalando totalmente. Tome consciência da respiração, contando as inspirações.
Deixe a respiração voltar ao normal.
Vagueie pela escuridão do não-pensamento. Inicialmente todos os pensamentos virão à sua mente e esta quererá funcionar mais que o normal. Livre-se deles com firmeza tentando chegar ao estado de escuridão do não-pensamento. Poderá utilizar o silêncio ou então ouvir musica adequada para meditação. O objectivo é acalmar o seu primeiro plano. O seu centro está em algum lugar dentro da escuridão. Quando alcançar o estado de não-pensamento, terá alcançado o seu centro. Demore o tempo que quiser.
Quando terminar, repita a respiração profunda, espreguice-se como um gato e concentre-se em manter a tranquilidade depois do exercício.
Continue este processo diariamente pois com ele estará a disciplinar a sua vontade, descobrir o seu centro e a preparar o terreno para a magia.
Contemplação
A contemplação não requer a mesma concentração mental para ler ou aprender. Como exemplo temos o observar duma fogueira, fazer jardinagem, uma caminhada, etc. A contemplação é uma meditação activa que permite parar com a actividade mental do primeiro plano. No estado de contemplação, poderão ser resolvidos assuntos que normalmente não têm ou achamos não ter solução. A consciência será organizada neste estado; dúvidas em relação à integridade duma pessoa, serão acedidas aqui; mentiras que perpetuamos ou que perpetuam contra nós virão à luz da consciência. Num estado de verdadeira contemplação, poderá ocorrer a revelação e deste modo, promoverá mudanças de acordo com essas percepções.
Visualização
A imaginação é essencial ao processo de criação. A mudança propositada começa com a inspiração, passa pela imaginação, é manipulada pelo desejo, entusiasmo, compatibilidade e empatia e transforma-se num resultado manifesto.
A meditação é o processo de acalmar a mente enquanto relaxa o corpo, a visualização utiliza esse estado tranquilo para a criação de estados alterados com a percepção aumentada pela intenção consciente e controlada, contacto, manifestação e invocação. O que começa como um exercício de criação controlada de uma imagem, transforma-se numa criação de imagem tridimensional , depois passa para um conceito ou ideia, por sua vez passa a activação de objectos ou pessoas e também à criação de situações que eventualmente, poderão acontecer no reino material. A partir daí procurará com a ajuda do seu centro, da meditação ou contemplação e da visualização, transcender o reino físico em busca de verdades que só podem ser obtidas num outro lugar.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

10 REGRAS BÁSICAS

Equilíbrio
É necessário ter calma, estabelecer prioridades e ser compreensivo.
Não ser obsessivo
Ser estável e simétrico na forma de pensar e se comportar
Saber que outras pessoas nem sempre partilham as mesmas opiniões que nós .
Maturidade
Aceitar a vida. Ser responsável pelos nossos pensamentos e acções
Concentrar-se na energia positiva
Desenvolver e crescer com luz positiva.
Compaixão
Os nossos corpos não passam de um invólucro para o nosso ser interior e é este que realmente interessa..
Sentir compaixão significa:
Simpatizar com os outros
Ser caridoso
Não subestimar, mas realçar com amabilidade
Sabedoria
Ter discernimento e ser-se previdente nas situações
Ser discreto e julgar com rectidão
Ser prudente e humilde
Auto disciplina
Ter um controlo absoluto sobre si próprio
Focar-se, concentrar-se e ter paciência
Comportar-se com integridade
Perseverança
Atitude e orientação mental positiva
Ser resistente e lutador,
paciente e determinado e exercitar a tenacidade
Devoção
Honra e dedicação a tudo o que se faz
Respeitar e ser generoso
Comprometer-se em obter resultados e mudanças positivas
Não prejudique ninguém
Anular o egoísmo,ódio e discriminação
Não magoar alguém tirando proveito ou vingança
Praticar magia em beneficio de todos, sem prejudicar ninguém
Adorar a Deusa e o Deus
Respeitá-Los e honrá-Los, venerando a sua vida, corpo, mente, coração, alma; uma vez que Eles nos deram estes elementos.
Glorificá-Los sem pensármos no nosso proveito
Tê-Los em consideração nas decisões que tomamos
Pureza de Coração
Libertar-se de toda a negatividade
Dar e receber amor incondicionalmente
Libertar-se de todo o egoísmo e estar preenchido com o espírito da Deusa e do Deus

sábado, 18 de julho de 2009

Conceitos Wiccanos

Possuímos a faculdade do livre-arbítrio, um coração para sentir e uma mente para pensar. Se não concorda com o conceito, procure a verdade por detrás desse mesmo conceito...Wicca pode ser um caminho, mas a viagem é sua...

Existe um Fonte Suprema de poder no Universo. Tem energia feminina e masculina.
Desejar ligar-se à Fonte Suprema de poder.
Tudo tem o seu equilíbrio.
Como mortais possuímos energia concentrada que ainda não foi libertada.
Não existem coincidências.
Desejar melhorar a Terra e seus habitantes.
Procurar totalidade e perfeição.
Tudo é uma combinação de energias femininas e masculinas nos nossos corpos e nas nossas vidas.
Gostar de celebrar as nossas mudanças naturais.
Ser conduzida(o) pela procura da verdade em tudo.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Antigos Caminhos

Os Antigos Caminhos ou Antiga Religião na sua essência, é uma visão da Terra como a Mãe da Vida. Vários seres vivem sob o seu cuidado; os seres físicos são os zeladores da Natureza e os seres espirituais concedem vitalidade e a essência da vida a plantas e animais. É por isso mesmo que se fazem oferendas a espíritos, na tentativa de conseguir que façam determinadas plantações renderem mais, rebanhos crescerem, etc.
O Círculo Ritual tradicionalmente era feito diante de uma grande árvore, perto de água corrente. A água tinha 2 propósitos: criava um fluxo de energia por causa da sua própria corrente e a mente subconsciente era estimulada pelo som da água , conectando a energia mágica provocada pelo ritual no nível emocional. A correspondência da água com as emoções e das emoções com o subconsciente, criavam por extensão uma passagem para o astral.
As árvores são seres mágicos, enraizados na terra e com seus braços estendidos para o alto até ao céu. O tronco é uma ponte entre os mundos e por isso mesmo uma tora servia normalmente de mesa de altar. Fazer um ritual em frente a uma árvore é conectar-se com o submundo através das raízes e com os céus através dos galhos.
O foco das celebrações está nas deidades personificadas como Deusa e Deus, a Grande Deusa Neolítica, Aquela que dá a vida e recebe-a de volta e o Deus, seu consorte animal neolítico, o Deus Cornífero da Natureza. Juntos, Deus e Deusa dão poder a todas as coisas vivas. São vitais para o ciclo de crescimento das plantas, animais e humanos.
As celebrações servem não só como devoção, mas também funcionam para dar poder ao ambiente. A dança ou outros actos que provocam energia, impregnam o cenário com o que se chama de energia ódica. Actos de calor para a libertar concentravam-se dentro do círculo. É por isso que se acendem fogueiras, velas, etc. A qualidade magnética da energia ódica absorve as imagens mentais dirigidas a ela por participantes do ritual e condensa-as numa força vital.
As plantas e animais são aliados das bruxas. Desta forma surgiu o conceito "familiar". O familiar ajuda a bruxa nos seus trabalhos tanto no aspecto físico como espiritual.
Se uma pessoa está em contacto com um espírito , dizemos que têm um Guia espiritual. O objectivo de um Guia é auxiliar o individuo na sua vida física, experimentando sensações que o levarão à evolução da sua alma. Os Guias falam connosco em sonhos, pensamentos, sentimentos e nunca estamos verdadeiramente sozinhos quando abraçamos os Antigos Caminhos.
Esta é a consciência do Grande Espírito, aquele que ensina os pássaros a fazer os ninhos, os lobos a caçar, etc. Quando se fala do Espírito do Corvo ou do Lobo, falamos da consciência colectiva do Reino Animal, fortificada pela Consciência Divina.
Ao estarmos unidos numa teia de energia, a Natureza manifesta uma força espiritual que é a essência de todas as coisas. Andar pelos antigos caminhos é aceder ao mecanismo interno da Natureza, do qual podemos extrair o conhecimento interior para realizar curas e outros actos de poder. Conhecer os Antigos Caminhos confere-nos a habilidade de distinguir padrões de energia e de saber interpretá-las. Tal conhecimento manifesta-se na compreensão da acção e reacção dentro da ordem natural e da ordem sobrenatural. Na compreensão deste mecanismo está a habilidade de alguém manifestar um desejo pela extracção, condensação e direccionamento da energia etérica para um objectivo pessoal. Algumas pessoas chamam a isto de magia.
Magia é no entanto um aspecto secundário dos antigos caminhos. É o beneficio de praticar a Arte, não a razão dela. Os Antigos Caminhos ensinam o alinhamento com a natureza, ensinam conceitos pré-cristãos, originados pelos povos primitivos que viviam em harmonia com a mesma. Todos os países tinham povos dos Antigos Caminhos, fossem eles xamãs da Europa, índios americanos; eram povos cujas vidas estavam intimamente ligados aos ciclos da natureza.
Como um artista deixa algo da sua natureza numa pintura ou escultura , também assim podemos descobrir algo de Divino nos trabalhos da Natureza. De certo modo a Natureza é um reflexo diminuto da Natureza maior da qual foi tirada. Os Povos dos Antigos Caminhos cuidam dos princípios e dos trabalhos interiores da Natureza a fim de entenderem melhor a Consciência que os fez manifestar.
Nossas próprias naturezas interiores também são reflexos diminutos daquilo que nos criou; reconhecendo nossos próprios espíritos e examinando o reflexo da natureza, podemos chegar mais perto de entender a Divindade, o Universo e a nossa relação dentro dele. Acima de tudo esta é a verdadeira dádiva de praticar os Antigos Caminhos.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Os Anciãos

Os Anciãos ou Grigori foram os primeiros espíritos que viveram na Terra como os elementais e os espíritos da Natureza. Seus nomes são Tago, Bellaria, Settrano e Meana. Algumas tradições usam os nomes romanos dos 4 ventos, quando falam dos espíritos elementais: Boreas, Eurus, Notus e Zephyrus

Cimurata talismã

A Cimurata ou talismã das bruxas é um dos mais antigos símbolos derivado talvez do antigo amuleto de arruda etrusco, feito em bronze, guardado no museu de Bolonha. A Cimurata é feita a partir dum galho de arruda, usada como sinal de admissão na Sociedade de Diana, a antiga Religião das Bruxas. O galho de arruda divide-se em 3 e cada um deles termina com um botão no qual nascem vários símbolos ocultistas.
Normalmente a Cimurata contém os símbolos do peixe, galo, lua, serpente, chave, adaga e flor.
O peixe é dedicado a Diana-Prosérpina, Deusa do Mar e como tal, uma criatura do Submundo. Simboliza a força vital oculta.
O galo é consagrado ao Sol e é apelidado de "guardião vigilante". É o arauto do nascer do sol, mas também é muito agressivo chegando inclusive a perseguir animais maiores quando invadem o seu território. As lendas dizem também que o galo espanta os espíritos indesejáveis.
A Lua aparece como sinal de seguir a Deusa Lunar, pois nos tempos antigos, a Lua era considerada a própria Deusa viva.
A serpente é sinal de saúde, como se vê no antigo simbolismo caduceu. A entrada para o Submundo era guardada por cobras.
A chave é o símbolo do porteiro. A chave dá acesso a lugares proibidos e restritos.
A adaga é o símbolo da transformação, do poder do mago.
A flor é a flor de verbena, com as suas 5 pétalas, simbolizando o pentagrama de protecção

quinta-feira, 12 de março de 2009

Banir um Círculo feito

A norte, toque o sino 3 vezes, faça a saudação e diga:
Ouvi-me Anciãos, eu Vos honro
por Vossa assistência e Vos suplico agora
parti para vossos Reinos sagrados.
Em paz Vos digo agora: Ave, Vale!
Repita esta acção para cada elemento movendo-se para oeste, sul, este e voltando a norte de novo.
Aponte a lâmina do athame para o círculo e caminhando no sentido horário, extraia o a chama azul, do perímetro do círculo para a ponta da lâmina. Volte para norte e fique em frente ao altar. Coloque a ponta da lâmina na chama do caldeirão. Visualize o a chama a voltar para dentro do caldeirão. Recite, enquanto observa:
dormí, Espírito da Chama, com vossos braços azuis estendidos
e vosso cabelo vermelho.
Dormi profundamente, muito profundamente
até que eu, vosso amigo, volte outra vez para vos acordar.
Dormí, Espírito da Chama, dormí.
Quando a chama se apagar, dissolva os elementos dentro de cada tigela, estalando os dedos 3 vezes sobre cada uma delas. Comece a norte e mova-se no sentido horário.
Apague todas as velas dos elementos, dos Deuses e a chama do caldeirão.
Declare que o círculo foi dissolvido.

sábado, 7 de março de 2009

Cìrculo Ritual


Delimite uma área formando um círculo no chão para o círculo ritual, siga os seguintes passos:
*purifique a área com água salgada
*disponha o altar
*trace o gesto do poder e acenda o caldeirão, recitando
despertai agora, ó Espiríto dos Antigos Caminhos,
com Vossos braços azuis estendidos,
acordai agora completamente
eu que guardo o fogo ancestral, vos invoco,
acordai Chama Espirítual, acordai.
*acenda as velas do altar e recite:
Linda Diana, Deusa da Lua e além
pensa por um momento em mim (nós)
que me (nos) reuno em teu nome.
Diano, Deus do Sol e além
pensa por um momento em mim,
que me reuno em teu nome
*conjure os elementos tocando o sino por 3 vezes sobre cada tigela elemental, começando pelo norte e circulando no sentido horário, diga:
conclamo dentro da bruma dos Reinos Ocultos,
conjuro-vos, espirítos da Terra e Ar
Fogo e Água.
Reuni-vos neste círculo sagrado,
concedei-me a união com vossos poderes.
*toque o sino novamente 3 vezes sobre as tigelas e depois bata suavemente 3 vezes com a lamina do athame.
*toque com a lâmina na chama do caldeirão e visualize a lâmina absorver a chama azul.
*virando-se para norte, trace o círculo, visualizando a chama a sair da ponta da lâmina e diga:
em nome de Diana e Diano,
e pelos anciãos,
eu conjuro este círculo de poder.
Torne-se numa esfera de protecção,
um vaso para conter o poder
que será elevado dentro dele,
de onde eu o desafio e me fortaleço
*coloque uma vela com a cor respectiva em cada elemento:
norte - terra - castanha
leste - ar - branca
sul - fogo - vermelha
oeste - água - azul
*chame os Grigori. Dirija-se a cada elemento, começando pelo norte, movendo-se sempre no sentido horário e balançando o incensário para a frente e para trás 4 vezes. Volte ao altar e toque o sino 3 vezes e recite:
eu vos conclamo ó anciãos!
Vós que viveis além dos reinos,
Vós uma vez reinastes no Tempo antes do Tempo.
Vinde! Ouvi o chamado!
Ajudai-me a abrir o caminho, dai-me o Poder!
Abri os Portais dos Reinos dos Deuses
e aparecei por estes nomes:
olhe para norte, toque o sino 3 vezes e chame:
Tago
olhe para leste, toque o sino 3 vezes e chame:
Alpena
olhe para sul, toque o sino 3 vezes e chame:
Settrano
olhe para oeste, toque o sino 3 vezes e chame:
Meana
*Bata com a varinha levemente e por 3 vezes no altar e diga:
O Círculo está feito!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Adivinhação


Adivinhação é a previsão de acontecimentos futuros por meio de vários instrumentos, tais como cristais, tarô, runas, astrologia, visão,etc.

Na Wicca a adivinhação é a previsão daquilo que têm possibilidade de acontecer, se nada alterar os padrões que se formam no momento presente, por isso mesmo acreditamos que temos o poder de fazer as mudanças necessárias para alterar a tal previsão.

Se o futuro é determinado e imutável, então não faz sentido a adivinhação, além de nos preparar para o destino.

A Wicca acredita que tudo se forma primeiro nos planos astrais, antes de se manifestar no mundo material. Os padrões de energia estimulam a substância astral e as formas começam a surgir, reflectindo o resultado desejado.

Encantamento de cura


Agarre numa moeda de prata que tenha estado sob a lua cheia, da meia-noite à 1hora da manhã. Unte a moeda com azeite (que tenha estado também sob a lua cheia). Coloque a moeda com a face para baixo na zona dolorida e movimente-a de forma circular no sentido anti-horário. Enquanto o faz, diga:

dor que açoita

com a fúria do sangue de dragão,

pelo o amor de todos os espíritos

deixa este corpo,

remove tua mancha.

Encantamento de boa sorte

Faça uma bolsa de lã vermelha. Dentro coloque uma migalha de pão, uma pitada de sal grosso, um raminho de arruda e uma pitada de cominho. Enquanto costura a bolsa com fio de lã vermelha, diga as seguintes palavras:
costuro este saquinho
para minha boa sorte,
e também da minha familia,
que esteja sempre longe
da desgraça e da doença.
A bolsa deverá estar junto ao seu corpo, noite e dia e não deverá ser usada por mais ninguém.

domingo, 1 de março de 2009

Encantamento da chama tripla

O objectivo deste encantamento é descobrir quem lançou um encantamento sobre si causando-lhe má sorte.
Numa mesa quadrada, no seu quarto, coloque 3 velas votivas em triângulo. No centro, coloque uma faca afiada com a lâmina virada para norte e 3 alfinetes virados para leste, oeste e sul. Se suspeitar de alguém em particular, escreva o nome dessa pessoa numa das velas. Se achar que existe mais "inimigos" coloque o nome numa das outras velas. A primeira vela a queimar indicará se de facto tem alguém ou não que lhe deseja ou está a fazer mal.
à meia noite sente-se numa cadeira e faça o gesto do poder, sobre os objectos. Volte-se para cada elemento e repita o gesto. depois diga o seguinte:
ouça-me ó Grande Mãe,
se a má sorte que sinto vem de más acções de outrem,
peço-lhe que fale comigo em meu sono esta noite.
Rezo para que esta má sorte seja expulsa por si
e que a boa sorte venha no lugar dela.
Se alguém me fez um feitiço
peço que uma destas velas seja apagada
e que me revele essa pessoa nos meus sonhos esta noite.
Então que o poder deles seja diminuido em Seu nome
e vá embora com a queima destas velas.
Vá para a cama e tente dormir. Acordará a dado momento e verá que uma ou mais velas se apagaram e aí terá a sua resposta.
No dia seguinte, queime todas as velas que sobraram e derrame a cera num buraco cavado na terra. Enterre a cera e não mexa mais. O encanto será quebrado

Magia do anel


É usada para lançar encantamentos, adivinhação, protecção, cura. Um dos usos mais antigos do anel é na Magia do Sigilo. Rolando o anel por barro mole, este deixa uns certos símbolos mágicos. Deixa-se depois secar o barro e deste modo torna-se um amuleto, talismã ou feitiço.

Para fins de cura o anel é purificado em chama aberta, depois de arrefecer, segura-se entre os dedos, como se segura uma caneta. São então traçados vários símbolos para o efeito, na área a ser curada. Um numero de círculos são traçados com o anel, delimitando a doença, seguido de algumas linhas radiais, também estas traçadas que começam da parte da ferida e movem-se para fora do corpo. Os movimentos são decisivos e rápidos a fim de retirar a doença da área afectada. Terá de fazer o tratamento uma vez por 3 dias. O praticante repete certas palavras durante o tratamento. No final do trabalho o anél é mergulhado e lavado em água salgada para descarregar a energia negativa e por fim lavado com água mineral. Os anéis podem ser usados em erupções, eczemas, verrugas, herpes e queimaduras.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009


Magia do Nó

Arte de usar cordão ou barbante para centralizar a energia, de modo a influênciar uma pessoa ou situação. Os nós podem ser dados de acordo com o objectivo, seja para unir ou para banir algo que aconteça; também podem ser usados para fixar a energia mágica num lugar, guardando-a, para libertar mais tarde. A amarração pode ser usada para evitar que alguém fira outra pessoa, espalhe mentiras ou que desintegre uma comunidade, pode também manter alguém à distância. O espírito de Terminus protege a intenção.


Cordão vermelho: energia, agressão, destruição, paixão. Elemento Fogo

Cordão amarelo: artesanato, habilidade, resistência. Elemento Terra

Cordão azul: alegria, intelecto, actividade mental, criatividade, expressão artística. Elemento Ar

Cordão verde: emoções, amor, relacionamentos, familia. Elemento Água

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Glossário

Amuleto
objecto consagrado através da magia, que deverá ser usado junto ao corpo.
Chave de Salomão
tratado medieval de magia ocultista, originada do misticismo hebraico.
Cimurata
Antigo talismã feito de arruda.
Cinto da Medida ou Cíngulo
cordão usado na parte de fora do vestido. Ao ser concebido deverá ter a altura da pessoa com um acrescento de 2,5cm. As cores dos cintos variam dependendo do nível que se atingiu. A Feiticeira Branca usa um cinto totalmente preto ou preto e dourado. A Sacerdotisa um todo branco ou branco e dourado. As noviças que ainda não tiveram a sua iniciação deverão conceber um cinto multicolor e com contas incluídas. Todas as feiticeiras deverão fazer o seu próprio cinto. O cinto da medida deverá ser usado em todas as reuniões do coven.
Círculo mágico
 limites de uma esfera de poder pessoal dentro da qual os iniciados realizam rituais.
Culto dos mortos
culto neolítico no qual os mortos eram enterrados com objectos pessoais, acreditando serem necessários na próxima vida.
De fora
expressão utilizada para denotar as pessoas que não praticam a Antiga Religião, que vivem fora dos Antigos Caminhos.
Divinação
 a arte de decifrar o desconhecido através do uso de cartas de tarô, cristais ou similares.
Elementos:
constituintes do universo: terra, ar, fogo e água; para algumas tradições, o espírito é o quinto elemento.
Encantamento:
ritual que invoca magia benéfica.
Energizar:
 transmitir energia pessoal para um objecto.
Esbat:
celebração da lua cheia, 12 ou 13 vezes por ano.
Evocação
Fazer um espírito ou deidade aparecer num determinado local.
Familiares:
animais pelos quais um feiticeiro sente profundo apego.
Feitiço
Consiste na combinação de palavras mágicas que invocam ajudas espirituais e revelam a intenção. É dita a expressão "Assim seja" no final de cada feitiço ou ritual.
Força da Terra:
energia das coisas naturais; manifestações visíveis da força divina.
Força divina:
 energia espiritual, o poder do deus e da deusa.
Gesto do Poder
dedo indicador e médio unidos, pressionando o polegar contra a ponta dos dedos.
Grigori
seres espirituais que guardam os portais de entrada e de saída da dimensão física.
Instrumentos:
objectos rituais
Invocação
atrair um espírito ou deidade para dentro da mente, corpo ou alma da pessoa
Livro das Sombras:
 livro no qual o feiticeiro regista encantamentos, rituais e histórias mágicas
OM
som sagrado dos hindus, considerado o som da Potência Divina. A Deusa Hindu Vac, Deusa da Palavra, é a doadora deste som místico. Pode ser decomposto em 3 sonoridades: A-U-M, representando a tradição védica da trindade. Om é uma ajuda à evolução espiritual, o mantra entre todos os mantras.
Pentáculo
Figura simbólica com combinação de letras, signos, desenhos e fórmulas benéficas para a representação de um voto ou desejo.
Pentagrama
símbolo maior dos wiccanos. Representa o macro e o microcosmos. Também é a representação dos 5 elementos.
Protecção Zodiacal
símbolo de protecção pelos signos zodiacais.
Sarasvati
esposa de Brahma. Deusa da água. Espírito do rio Sarasvati. Usa uma lua crescente sobre a testa. Deusa da arte e do conhecimento
Selo do Mago
símbolo do equilíbrio entre matéria e espírito
Tãlisma
objecto de protecção,  ao qual se atribui um poder sobrenatural de realização dos desejos. Muitas vezes, funcionais ou decorativas, como cálices, adagas, gravuras, esculturas, máscaras, etc. Estes objectos podem ser poderosos.
Término
espírito guardião das ligações e amarrações.
Testemunhos
objecto impregnado de energia do favorecido, num ritual ou feitiço. Normalmente são utilizados peças de roupa, unhas, cabelos, fotos, etc. O testemunho deverá ser sempre colocado sobre um pentáculo
Vénus de Willendorf
representa a fecundidade e fertilidade.Baseada nas primitivas imagens da Grande Mãe, que desde a Idade da Pedra, representam o poder mágico da alma feminina. Ela é a senhora da fertilidade da terra e do espírito.
Zodíaco
Informação relativa aos aspectos planetários que se verificam na altura do nascimento de uma determinada pessoa. Além dos signos solar, lunar e ascendente, o Zodíaco revela as posições dos planetas nos signos e nas casas e a sua interligação, que define os aspectos positivos e negativos da personalidade.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Elementos

Terra
  • Ponto cardeal - norte
  • Horário - meia noite
  • Estação do ano - Inverno
  • Cores - preto, verde e castanho
  • Signos - virgem, touro e capricórnio
  • Ferramenta - pentagrama
  • Elementais - gnomos, duendes, elfos e anões
  • pedra - cristal fumado e cristal branco
  • Ervas e aromas - hera, carvalho e grãos

Ar

  • Ponto cardeal - leste
  • Horário - nascer do sol
  • Estação do ano - primavera
  • Cores - branco, azul claro, tons pastéis
  • Signos - gémeos, aquário e balança
  • Ferramentas - athame, espada, incensário, turíbolo
  • Elementais - silfos e fadas
  • Pedra - topázio
  • Ervas e aromas - olíbano, violeta, mirra, prímula

Fogo

  • Ponto cardeal - sul
  • horário - meio dia
  • Estação do ano - verão
  • Cores - vermelho, dourado e laranja
  • Signos - sagitário, carneiro e leão
  • Ferramentas - varinha e velas
  • Elementais - djins e salamandras
  • Pedra - opala e citrino
  • Ervas e aromas - hibiscos, papoila e amêndoa.

Água

  • Ponto cardeal - oeste
  • Horário - pôr do sol
  • Estação do ano - outono
  • cores - azul escuro, verde escuro e cinza
  • Signos - escorpião, peixes e caranguejo
  • Ferramentas - cálice e caldeirão
  • Elementais - sereias, ondinas e tritões
  • Pedra - água marinha
  • Ervas e aromas - lótus, salgueiro, samambaias

Espírito

  • Ponto cardeal - centro do círculo
  • Horário - toda a hora
  • Estação do ano - Roda do ano
  • Cores - branco e negro
  • Signos - todos
  • Ferramentas - todas
  • Elementais - todos
  • Pedra - ametista e diamante
  • Ervas e aromas - almécega, mandrágora

domingo, 4 de janeiro de 2009

Esbbaths



Assim como o Sol têm a sua representação nos sabbaths, a Lua , possui festas que honra as suas diversas fases. No sabbath existe todo um ritual próprio, relacionado com uma determinada época da Roda do Ano. O esbbath é livre, sem um ritual definido, sendo o mesmo usado para a prática de magia desvinculada dos princípios evocados no sabbath. Cada fase da Lua, corresponde a um período energético que é favorável para certos trabalhos, como banimentos, atracção, etc.

Lua Quarto Crescente
Esta fase traz as novidades e a possibilidade de renovação. Propícia a nível amoroso, financeiro, saúde e negócios. Tudo o que é favorecido.

MEDITAÇÃO
Concentre-se. Visualize uma lua crescente cor de prata. Ela é o poder do que inicia, do crescimento e geração.
Ela é tempestuosa, como as ideias e planos antes de serem equilibrados pela realidade. Ela é a página em branco, o campo não semeado. Sinta as suas próprias possibilidades, o seu poder para iniciar e crescer. Veja-a como uma menina de cabelos prateados correndo livremente pela floresta sob a lua delgada. Invoque seu nome, "Nimuël" e sinta o seu poder.

RITUAL
Coloque sobre o altar uma tigela com sementes, encha o caldeirão com terra e coloque no centro uma vela. Forme o círculo.
Em frente do seu altar, medite e quando se sentir preparado, diga:
Este é o tempo do início, o tempo de semear, o despertar após o sono. Agora, a lua emerge do escuro; aquela que dá a luz e retorna da morte. A maré muda; tudo é transformado. Esta noite sou tocada pela donzela .Ela muda tudo aquilo em que toca; que ela me abra para as transformações e crescimento.
Tire a tigela de grãos do altar e diga:
Abençoada seja, criatura da terra, semente lunar da mudança, inicio de um novo circulo de tempo. Poder para começar, poder para crescer, poder para renovar; estejam nestas sementes. Abençoada seja.
Plantarei com a lua meu desejo de .... (diga o que deseja iniciar nesta fase)
E que a bênção desta lua recaia sobre os meus planos. Assim seja!

Visualize o que deseja por alguns instantes em silêncio. Feito isto, plante as sementes da tigela na terra do caldeirão.
Abra o círculo

LUA CHEIA
Favorece os relacionamentos sociais, a comunicação, período indicado para discussão de propostas, projectos, assinatura de contratos, etc.
Fase lunar muitíssimo indicada para trabalhar o que muitos chamam de alta magia.

MEDITAÇÃO
Concentre-se. Visualize uma lua cheia. Ela é a mãe, o poder de realização e de todos os aspectos da criatividade. Ela nutre aquilo que foi iniciado pela lua nova. Veja-a abrindo os braços, os seios abundantes, o ventre desabrochando em vida. Sinta seu próprio poder de nutrir, de tornar manifesto o que é possível. Ela é a mulher sexual; seu prazer na união é a força motriz que sustenta toda a vida. Invoque seu nome "Maril" e sinta sua própria capacidade de amar.

RITUAL
Forme o círculo. Em frente ao seu altar, medite e quando se sentir preparado, diga:
Estou no período de grande plenitude, quando a senhora com seu círculo completo e iluminado atravessa o céu nocturno. Esta é a época das mudanças realizadas. A Grande Mãe, sobre o universo, derrama seu amor e suas dádivas em abundância. E nós que vemos o seu rosto brilhante, estamos repletos de amor.
Invoque a Deusa e o Deus. Feito isso, diga:
Eu, ( nome) preencho-me do seu amor, seu poder e sua Luz, bondosa Senhora. E reconheço perante ti e perante teu senhor, que sou Deus, Sou Deusa.
Medite por um instante sua condição de Deusa e Deus.
Abra o círculo
*
Esbbath de Lua cheia
necessita de:
altar montado
1 caldeirão
1 vela vermelha
cálice com vinho branco
incenso de rosas

Coloque a vela dentro do caldeirão. Coloque na taça, vinho branco. Acenda o incenso, trace o círculo. De frente para o altar eleve as mãos e diga:
Nós saudamos-te como Aquela que reina sobre as montanhas, nos bosques, nos lagos e nas florestas!
Deusa da fertilidade, da terra, das colheitas e da civilização.
Aquela que ensina e ajuda os homens a cultivar a terra, Senhora da organização e da lei. É a Ti que saudamos,
Deusa que caminha pelos campos, que semeia e faz brotar.
Deusa protectora e sábia, altiva e majestosa,
Grande Mãe universal.
Vem e invade-nos com a tua luz, trazendo sabedoria, conhecimento e força para que sejamos capazes de superar os obstáculos e seguirmos confiantes em teu caminho, pois somos teus filhos que retornam a ti no amor.
Somos as crianças perdidas que clamam pelo encontro.
Fica connosco dentro deste círculo e derrama as tuas bênçãos sobre nós.
Que assim seja e que assim se faça.

Acenda a vela que está dentro do caldeirão, olhe fixamente para a chama e medite sobre os propósitos do ritual. Pegue o cálice e faça com que a imagem da lua seja reflectida no vinho. Quando ocorrer, imagine a luz da lua expandir-se por toda a superfície do vinho até transbordar a taça. Eleve a taça ao céu, em direcção à lua e diga:

Senhora do Arco de prata, banha-nos com a tua luz. Que o teu poder percorra o meu corpo e mente, trazendo transformação, iluminação, força e conhecimento.
É a ti que louvamos, pois é de ti que tudo procede e a ti tudo retorna.
Tu que és chamada por muitos nomes, Tu que não tens forma, mas possuis muitas faces.
Que o teu reflexo seja único em nossos corações. Vem a mim, fica comigo em pensamentos, actos e magia.

Mentalize a luz da lua descendo sobre si, baixe lentamente os braços e tome um pouco do vinho, estabelecendo o vínculo com a Deusa. Honre a Deusa.
Eleve ao máximo os braços em direcção à lua, feche os olhes e mentalize a luz descendo directamente sobre si. Absorva o poder da lua, conecte a Deusa e mantenha um diálogo com Ela, deixe-A falar. Abra os sentidos para Ela. Quando sentir que a conexão foi bem sucedida, baixe novamente os braços. Estenda as mãos em direcção ao caldeirão e mentalize uma forte luz que transborda de dentro para fora. Eleve as mãos ao céu, lentamente, mentalizando que essa luz está a subir, elevando assim o cone do poder, até que a luz do caldeirão se tenha extinguido. Nessa altura, mentalmente projecte a luz para os seus objectivos e desejos, para as pessoas que ama, para os seus amigos, etc.
Ao terminar, agradeça aos Deuses e Elementos, desfaça o círculo.
*
Ritual à Lua
Abra o círculo.
Fique de frente para o altar e olhando para a lua ou símbolo dela, diga:
Venho nesta noite sagrada da Senhora,
sob a lua cheia,
para adorar seu símbolo que ela colocou entre as estrelas.
E para prestar a devida adoração junto à Grande Deusa,
pois esta é a época adequada,
que a Sagrada Strega me manda observar.
Assim como era no início, assim é agora e assim será.
Abra as palmas das mãos voltadas para fora e forme um triângulo com elas juntando os dedos indicadores e polegares (gesto da manifestação). Enquadre a lua ou o símbolo no triângulo formado pelos seus dedos e recite:
Salve e devoção a Vós,
ó Grande Diana, Salve Deusa da Lua e da Noite.
Vós estais aqui desde antes do início,
Vós fizestes todas as coisas surgirem,
ó Doadora e Sustentadora da Vida,
devoção a Vós.
Faça o ritual de união enquanto olha fixamente para a lua. Em pé ou de joelhos diante da Lua ou símbolo, levante as mãos acima da cabeça e forme novamente o triângulo com os dedos e diga:
Salve e devoção a Vós,
Ó Fonte de Toda a Iluminação.
Imploro-vos, conferi a mim Vossa iluminação.
Baixe os braços ao nível da testa com os dedos na mesma posição e diga:
Iluminai minha mente para
que eu possa perceber mais claramente
todas as coisas em que me empenho.
Baixe os braços com os dedos na mesma posição ao nível do umbigo e diga:
E iluminai minha alma, partilhando
Vossa essência de pureza.
Ao nível do umbigo junte as pontas dos dedos com as palmas viradas para cima e diga:
Eu revelo meu Eu interior e a Vós peço
nesta altura abra os braços, diga:
que tudo dentro seja limpo e purificado.
Coloque as oferendas para a Deusa no quadrante oeste,
Ajoelhe-se diante das oferendas e recite:
Ó Grande Diana,pensai apenas por um momento
neste adorador que se ajoelha em Vosso nome
sob o Sol,as pessoas
labutam e andam e atendem afazeres mundanos.
Mas sob a lua, vossos filhos sonham
e acordam e atraem o poder. Portanto abençoai-me,
ó Grande Diana e conferi a mim Vossa mística Luz,
na qual encontro os meus poderes.
Abençoai-me ó Grande Diana.
Olhe para a lua cheia e recite:
Ó Lua dos Negros Céus
Mistério dos Mistérios
Emanai Vossa sagrada essência sobre mim
enquanto espero nesta época determinada,
iluminai minha mente interior
e meu espírito, como iluminais
as trevas da noite.
Sente-se em silêncio dentro do círculo e recite:
uma vez, há muito tempo, todas as bruxas
adoravam nos campos abertos
e nos lugares antigos.
Nossos cantares eram levados pelos ventos.
Nossas preces eram recebidas
no fumo de nosso incenso, pelos Anciãos.
Mas com o tempo, fomos escravizados
pelos adoradores dum Deus ciumento
E nossas vidas foram dadas aos senhores cruéis
Os Antigos Caminhos foram proibidos
e fomos forçados a aceitar
os caminhos de nossos opressores.
Agora é tempo de se reunir nas sombras.
Temos sofrido perseguição por nossas crenças,
e muitos de nós morreram.
No entanto, renascemos entre os nossos novamente.
Sempre aconteceu que os ciclos da vida passam e retornam.
Todas as coisas são lembradas e restauradas.
Eu sou uma das filha s(o) secretas da Deusa.
De geração em geração o conhecimento tem sido passado
e os Antigos Caminhos mantidos
pelos que acendem a chama.
Como lembrança venho esta noite sob a Lua Cheia, para honrar o passado,
assegurar o futuro e receber a essência dos Anciãos.
Assim como era no tempo do nosso princípio,
assim é agora e assim será.
Coloque grãos num prato. Junto a este, coloque o cálice com vinho, trace um
crescente sobre eles abençoando-os e recite:
Bênçãos sobre esta refeição que é meu próprio corpo.
Pois sem tal sustento, eu desapareceria deste mundo.
Bênçãos sobre este grão, que como semente foi para dentro da terra
onde se escondem profundos segredos.
Lá dançou com os elementos e brotou como planta florida, escondendo segredos estranhos.
Quando este grão se abriu, espíritos do campo vieram para lançar sua luz e ajudá-lo a crescer.
Através dele serei tocada(o) por aquela mesma raça
e os mistérios escondidos dentro dele
eu conhecerei até ao ultimo destes grãos.
Trace um crescente sobre o vinho com o athame e diga:
Pela virtude desta lâmina sagrada
que esta vinho seja a essência vital da Grande Deusa.
Trace um crescente sobre os bolos e diga:
Pela virtude desta lâmina sagrada
que estes bolos sejam a substância vital
do Grande Deus.
Levante o prato e o cálice, olhe para a lua ou símbolo e diga:
Por estes bolos e por este vinho,
Diana e Diano me abençoem e me dêem
A força e a visão interior.
Que eu possa conhecer aquilo dentro de mim que é dos Deuses.
Que seja esta bênção em nome de Diana e Diano.
Coma e beba um pouco de vinho. Levante o cálice num brinde a Arádia.
Sente-se agora de frente para o altar. Olhe para a lua ou símbolo e visualize-a como a Deusa aparecendo numa esfera de luz. Beije a palma da mão esquerda e estende-a para ela, depois diga:
Ó Grande Diana, Rainha das bruxas,
ouça minha devoção, ouça minha voz a tecer-lhe elogios.
Receba minhas palavras subindo aos céus, quando a lua cheia tão brilhante,
preenche os céus com sua beleza.
Veja-me pois venho à Sua presença e estendo-lhe a mão.
Enquanto brilha sobre mim a Lua cheia, dê-me todas as suas bênçãos.
Ó Grande Deusa da Lua, Deusa dos Mistérios da lua,
ensina-me os segredos ainda não revelados, antigos ritos de invocação
de que a Sagrada Strega falou,
pois creio nas palavras da Strega quando ela contou
de sua glória infindável, quando ela disse para vos suplicar, a busca do conhecimento para A encontrar, além de todas as outras.
Dê-me o poder Ó Senhora Secretíssima,
para subjugar meus inimigos.
Receba-me como sua filha, receba-me embora eu seja da terra.
Quando meu corpo descansar à noite,
fale ao meu espírito interior, ensine-me todos os Seus Sagrados Mistérios.
Creio em sua antiga promessa de que todos que buscam sua Sagrada Presença, receberão Sua Sabedoria.
Contemple ó Deusa ancestral,
venho sob a lua cheia nesta hora determinada.
Agora a lua cheia brilha sobre mim.
Abençoe-me, ó Graciosa Rainha do Céu.
Em seu nome que assim seja.
Antes de fechar o círculo, poderá fazer 3 trabalhos de magia se assim o desejar. Instrumentos rituais podem ser abençoados, tocando cada um dos elementos representados no altar. Feche o círculo, ofereça libações à terra e à lua. A celebração está terminada.
Lua Quarto Minguante
Período indicado para terminar tudo o que deseja. Indicado para terminar com rancores e sentimentos negativos. Magicamente falando, é ideal para rituais de limpeza, para expulsar doenças e más energias.
MEDITAÇÃO
Concentre-se e centre-se. Visualize uma lua minguante, envolta pelo céu escuro. Ela é a anciã, a velha que ultrapassou a menopausa, o poder de terminar, da morte. O grão que foi plantado deve ser cortado. A vida alimenta-se da morte; a morte conduz à vida e nesse conhecimento, encontra-se a sabedoria. A mulher é sábia e infinitamente velha. Sinta a sua própria idade, a sabedoria da evolução armazenada em cada célula do seu corpo. Conheça o seu próprio poder para terminar, para perder assim como ganhar, para destruir aquilo que está estagnado e decadente. Veja a velha em seu manto negro sob a lua minguante; invoque seu nome "Anul" e sinta o seu poder.
RITUAL
Forme o circulo.Coloque uma tigela com água sobre o seu altar .Invoque a Deusa e o Deus. Feito isso, diga:
Estamos diante do fim, mas o fim que antecede ao novo começo.A Grande Senhora entra no reino da morte. Estou nos teus braços oh, Anciã. Mostre-me sua sabedoria.
Senhora dos mistérios, Senhora dos mistérios, Senhora dos mistérios
Revele minha voz interior . Revele minha paz interior. Revele minha sabedoria interior.
Senhora dos mistérios, Senhora do Meu intimo, Senhora da sabedoria infinita
Após dizer estas palavras, centre-se e trabalhe a contemplação que deverá ser feita na tigela com água mineral.
Quando terminar, abra o círculo
Lua Nova
Favorece planos, organizações da própria vida. Magicamente falando, esta fase é propícia para rituais de renovação e revitalização. Mas cuidado, pois poderá deparar-se com os seus sentimentos mais perigosos. Medos interiores poderão aflorar. Mas, se souber trabalhar tais medos e sentimentos, alcançará a renovação.
O ritual nesta fase requer experiência e capacidade para trabalhar com o seu próprio lado negro.